terça-feira, 29 de novembro de 2016

Passeio por Helsinki, capital da Finlândia.

Helsinque é a maior cidade da Finlândia, concentrando as principais atrações do país. As ruas organizadas e arborizadas são um verdadeiro convite a longos passeios a pé, passando por monumentos, edifícios antigos e modernos, museus e parques. Dominada por russos no passado, muitas de suas construções faz lembrar St. Petersburgo (Rússia), trazendo um ar provinciano e ao mesmo tempo pitoresco. Considerada uma das melhores cidades para ser viver, quase não há trânsito, crimes ou multidões. No passeio de um dia que fiz ano passado, enquanto viajava com a Happy Tour pela Escandinávia e Rússia, comecei experimentando um café local, mas logo passei para a cerveja, pois a variedade era grande. 
Numa feira de rua, várias postas de salmão selvagem (de altíssima qualidade) eram expostas em grelhas, trazendo um aroma muito bom para as ruas. Nem preciso comentar que acabei fazendo um pit stop numa das barracas para tomar uma sopa de salmão (para esquentar um pouco) e comer um peixe. Tudo muito bom. Espero algum dia retornar para explorar mais essa cidade interessante.

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Burger Veggie de Shitake e Shimeji

Fiz um Burger de Cogumelos que deu certo. A "carne" foi feita com shimeji e shitake refogados na manteiga e shoyo. Depois acrescentei cebola ralada, aveia, ovo, sal e pimenta do reino. Grelhei com um pouco de PAM na frigideira e finalizei com queijo maçaricado. O sabor ficou interessante, provando que comida vegetariana pode ser muito boa. Pode ser servido com salada ou então na forma tradicional. O sanduba da última foto levou alho crocante, creme de ricota, rúcula e tomate cereja. 

terça-feira, 18 de outubro de 2016

São Paulo: A Casa do Porco Bar

Surpreendente. Esse é o adjetivo mais apropriado para A Casa do Porco Bar, do chef Jefferson Rueda, que fica bem no Centro de São Paulo. Sucesso de crítica e de público (horas e horas de fila em dias concorridos), a casa descolada, que lembra muito os mercados de Nova York (bar + mercado + restaurante), explora muito bem o potencial da carne suína. Enquanto esperava minha mesa do lado de fora, pedi logo uma Porcopoca (pururucas crocantes, saborosas e sequinhas) com uma Cerveja Horny Pig da Blondine. Como pedi menu degustação, experimentei algumas opções que o local trabalha, começando bem pelo Couvert com Pão Artesanal, Embutidos (de cabeça e presunto real Rueda - de ótima qualidade), Picles, Compotas e Mostarda. Depois a coisa foi esquentando com os deliciosos Tartar de Porco e Sushi de Barriga de Porco. 
Continuando o almoço, chegou a vez de experimentar a Sanguiça (linguiça de sangue) com Tangerina e a Costelinha com Arroz, Algas e Alface Romana. Não sou muito fã de linguiça de sangue, mas meu conceito melhorou bastante depois de experimentar essa entrada. Depois veio o excelente Croquete de Porco com Mostarda de Tucupi, combinado com o também excelente Pão no Vapor com Barriga de Porco, Cebola Roxa e Pimenta Fermentada. Achei nota 10 a Pancetta com Goiabada Apimentada, que sempre via em publicações no Instagram. A versão deles do Virado à Paulista também agradou meu paladar.
Antes de partir para o prato principal, tive que fazer um pedido que não estava incluso no menu: o Temaki de Porco. Servido com Hana-humê e Shissô, achei muito criativo e saboroso apresentar um temaki suíno! Para finalizar a degustação, foi servido o Porco San Zé, churrasqueado, úmido por dentro e crocante por fora, servido com Tutu de Feijão, Tartare de Banana e Couve. Rapaz... sem palavras. Ingredientes simples, mas muito bem executados, enaltecendo ainda mais o encanto que tive nessa primeira visita ao local. Só para vocês terem noção, o estrelado chef catalão Ferran Adriá elogiou publicamente num o prato num grande evento de gastronomia mundial. Fechou a degustação com chave de ouro. 
Em resumo: Ambiente descontraído, ótimo atendimento, bons preços e um excelente menu de pratos utilizando "porco", o ingrediente estrela da @acasadoporcobar. O chef @jeffim_rueda aproveita o animal por inteiro transformando o #menudegustacao (ótimo custo-benefício) em algo memorável. Curti muito! Pretendo voltar em breve! 

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

São Petersburgo: Strogonoff

Sim, eu comi strogonoff na Rússia. Foi num tradicional restaurante típico em São Petersburgo, cujo nome pode ser observado acima, mas não sei qual é a tradução para o ocidente. O local era grande e logo de cara tinha um bar com vários tipos de vodka (é claro!). Fui logo fazendo uma degustação e experimentando uns petiscos típicos de peixe e picles. Depois, já na mesa, a refeição começou com uma Borsch, típica sopa russa. Depois, comi uma salada de pepino com creme azedo e dill, temperada com sal negro. Para prato principal, como já dito, fui de strogonoff de carne com cogumelos e purê de batata. Para terminar, um sorvete de creme e um passeio pelas redondezas do local. Comida estava boa, mas nada imperdível. 

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Salada Caprese Crocante com Pesto

Férias acabaram e estou de volta às atividades do blog com mais novidades. Mas antes de retomar o ritmo, vai um post um pouco mais antigo de Salada Caprese Crocante com Molho Pesto. Para o pesto: manjericão, rúcula (poucas folhas), alho, sal, pimenta, pecorino, parmesão e azeite. Para deixar um pouco cítrico, ainda acrescento umas gotas de limão siciliano. A casquinha crocante da salada foi feita com massa de pastel levada ao forno. Depois, coloquei o recheio de mozzarella de búfala, tomate, azeitonas e o molho pesto. Uma opção saborosa para uma refeição rápida. 

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Shitake Tuna Pad Thai

Fiz mais uma vez em casa o famoso Pad Thai. No entanto, essa versão foi com Nirá, Shitake e Atum. O molho pronto de amendoim eu já falei aqui no blog, mas quem quiser preparar um caseiro, pode pegar uma dica aqui. Além disso, os noodles foram de arroz e utilizei polpa de tamarindo para completar o sabor do molho. Numa panela wok, fritei o nirá, alho e cebola em uma mistura de óleo de gergelim e azeite. Acrescentei os cogumelos, molho shoyo e mexi por uns 3 minutos até colocar o filé (já desfiado) de atum assado no forno. Juntei a polpa de tamarindo com o molho de amendoim, coentro e cebolinha. Por fim, o macarrão já cozido, o suco de dois limões (quem achar muito ácido, pode diminuir a quantidade) e um pouco de gergelim torrado. Na hora de servir, umas gotas de óleo de gergelim para deixar aquele sabor torrado bem marcante. A porção rendeu bem e ficou muito saborosa. 

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Bravo Burger & Beer

Bravo Burger & Beer acaba de completar um ano de vida. Com mais de 50.000 burgers executados e 12.5 toneladas de carne vendidas, nem preciso dizer que o chef Rafael Zacarias trabalhou muito, né? O resultado: clientela feliz e fiel. Isso mesmo. Se tem um lugar que marcou o final do ano passado e início desse ano (pelo menos para mim) foi o Bravo. Os burgers sempre mantiveram a padronização, com utilização de bons ingredientes bem apresentados e, principalmente, com uma carne muito saborosa (até mesmo na versão vegetariana, com mix de cogumelos). Para completar, uma boa carta de cervejas artesanais. A prova do sucesso é a casa sempre cheia! Já perdi a conta de quantas vezes fui lá, por isso o post de hoje é um apanhado resumido desses últimos 12 meses. 
Vamos ao que realmente interessa: a comida. O cardápio do local não é muito extenso, mas é recheado de excelentes opções. O Bravo Burger, campeão de vendas e um dos meus preferidos, tem 180 gramas de carne, pão australiano, bacon crocante, cebolas caramelizadas, queijo do reino e maionese de mostarda. Para ficar ainda melhor, a casa disponibiliza um barbecue de tamarindo nas mesas. O Bacon Royale (sazonal - não está no cardápio atual), muito bom também, vinha com 180 gramas de carne de costela Red Angus, queijo meia cura, bacon, picles de pepino, rúcula, tomate caqui, maionese de páprica defumada e conhaque e pão de gergelim. Já o 40 Graus é composto por 180 gramas de carne de costela Red Angus, queijo coalho com orégano, cogumelos orgânicos, cebolas caramelizadas, molho alioli e pão de batata doce. 
Outra opção é o delicioso Caprese (sazonal - não está no cardápio atual), com 180 gramas de carne no pão de batata doce com tomate cereja grelhado, queijo meia cura mineiro, rúcula hidropônica e maionese de pesto. O Fale Sério tem a carne com 180 gramas, queijo brie, chutney de bacon com maçã verde, maionese de pesto e pão de batata doce. O De Boa tem a carne Red Angus, queijo meia cura, salada de alface, tomate caqui, picles de pepino e cebola, com delicioso molho aioli e pão de batata doce. Até o Vegetariano é sensacional, com 100 gramas de cogumelos orgânicos, queijo meia cura, picles de pepino e cebola, rúcula, tomate caqui, maionese de páprica, alface crespa e um pão de abóbora
Uma novidade mais recente é o The Bode Father, com 180 gramas de carne de bode, requeijão nordestino, picles, maionese com coalhada, mel do Capão, hortelã e especiarias com um pão de batata doce. Interessante composição com ingredientes regionais, mas ainda não experimentei (acho que por não ser muito fã de bode). Se sua fome for daquelas monstras, como a minha, recomendo o King Kong com 360 gramas de carne bovina Red Angus, queijo meia cura mineiro, cebola caramelizada, bacon crocante, aioli e pão de batata. Acho que já tá bom, né? Combinar qualquer um desses burgers com uma cerveja diferenciada é sempre uma boa pedida. Resumindo: Bravo é satisfação!