quinta-feira, 23 de outubro de 2014

RW2014.2: Além do Cais (jantar)

Deixei de conhecer o Além do Cais por falta de tempo durante a edição passada do Restaurant Week. Por isso, foi um dos primeiros da lista nessa nova temporada. O local fica no agradável bairro de Santo Antônio Além do Carmo, um dos mais antigos da cidade. O ambiente é bem rústico e antigamente abrigou uma casa de farinha. Depois de duas tentativas sem sucesso (telefone vivia na caixa + casa fechada --> recomendo ligar antes de ir!), finalmente consegui experimentar o cardápio. As opções de entrada foram: Caldo de Couve com Cubos de Palmito e Bolinho de Siri (gostei muito da apresentação e do sabor) e Folhas de Alface com Tomatinho, Cogumelos e Croûtons de Lagosta em Perfume de Capim Santo e Sementes de Coentro (entrada bem leve).
Para prato principal, duas opções interessantes. A primeira foi um Tambaqui Grelhado em Azeite, Revirado de Cuscuz, Tomate Seco, Azeitonas Confitadas, Abobrinha e Shitake Frescos (mais uma vez, gostei da apresentação. Para mim, o peixe precisava de um pouco mais de tempero). A segunda opção foi uma Codorna Recheada com Cuscuz Nordestino em Borras de Vinho e Batatas Assadas (infelizmente não experimentei o prato, mas a aparência estava ótima!).
Para sobremesa, o jantar conta com duas opções: Pudim de Iogurte com Calda de Morango (sobremesa leve - achei apenas "ok") ou Mousse de Cupuaçu (fiquei impressionado com o sabor, pois não sou muito fã de cupuaçu).
Conclusão: O cardápio de jantar reserva opções interessantes e a proposta do Week foi respeitada pelo restaurante. Em termos de sabor, confesso que criei uma expectativa muito grande, ainda mais depois de ouvir tantos comentários positivos sobre o local. O menu estava bom (e ponto!), mas saí com a impressão de que faltou algo. O atendimento foi excelente, com timing perfeito. Voltarei em breve para experimentar outros pratos.

Review (de 1 a 5*****):
Menu: 3
Quantidade: 3,5
Qualidade: 4
Atendimento: 5

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

RW2014.2: Conventual (almoço)

O segundo restaurante escolhido para o RW2014.2 foi o Conventual, dentro do Hotel Pestana Convento do Carmo. Tive boas experiências nos anos anteriores e, por isso, coloquei o lugar como um dos primeiros da lista. Identifiquei aspectos negativos durantes os dois almoços que compareci semana passada. Isso destoa completamente do padrão previsto em um Hotel 5 estrelas. Entre as falhas: comida fria (pedi para o prato voltar), serviço lento e apresentação ruim (aspecto de inacabado). As entradas da edição atual são: Carpaccio de Polvo com Tagliatelle de Pupunha Grelhada, Pesto Alioli e Flor de Sal (ótima em termos de sabor, com o polvo bem macio, mas o pupunha não veio em forma de "tagliatelli" e o azeite era de péssima qualidade) e Pataniscas de Bacalhau com Musseline de Batata Baroa e Tomates Marinados com Coentro (prato saboroso, mas o peixe precisava ser servido mais quente e crocante).
Em relação aos pratos principais, experimentei tanto o Tournedos de Novilho com Gratin de Batata e Ameixa, Berinjela Baby Confitada em Calda de Vinho e Frutas Vermelhas (achei o prato ótimo em termos de sabor, mas o acompanhamento estava frio. A berinjela baby estava com gosto acentuado de cravo, então se você não curte, nem experimente) quanto o Rigatoni com Parma, Azeitona Preta, Manjericão, Tomate Cereja, Queijo Brie e Pesto de Castanha do Pará. O QUEIJO BRIE e PESTO DE CASTANHA DO PARÁ não estavam presentes no meu prato (ano passado também percebi a ausência de ingredientes em um dos pratos do menu). A massa ressecada e fria nem tinha molho. Um dos piores pratos experimentados na vida. Não recomendo pedir a massa, pois as chances de você se arrepender são grandes.  
As opções de sobremesa foram: Mousse de Chocolate com Azeitonas Pretas confitadas em Vinho do Porto (achei excelente a combinação exótica, a mousse estava bem aerada e leve) e Tapioca Tostada com Caju Caramelizado e Doce de Leite Caseiro (esperava uma apresentação - e sabor - completamente diferente. O caju estava muito doce e enjoado, tanto que deixei 2/3 no prato). 
(preciso abrir um parágrafo aqui para falar do prato principal) Claro que o sabor é fundamental para o sucesso de um prato, mas uma boa apresentação não pode ser descartada. Só para vocês terem noção, depois da chegada do prato, tive que pedir um pouco de manteiga, queijo ralado e pimenta do reino para começar a comer. E bastou apenas esses três ingredientes, misturados na mesa mesmo, para dar uma melhorada significativa no visual e no paladar. O restaurante errou feio com o Rigatoni.
Conclusão: não achei que o menu de almoço cumpriu com a proposta do RW. Houve queda (mais uma vez) da qualidade, inovação e apresentação dos pratos (já tinha achado isso na edição passada). Se na última edição eu tive o desejo de voltar para experimentar o outro cardápio do jantar, creio que nessa vez a vontade foi perdida completamente. Se um restaurante não acha interessante manter sua qualidade durante o RW, nem deveria participar do evento. Tratamento diferenciado para quem paga preço "promocional" é bizarro. É dar um tiro no pé: afasta os clientes novos e decepciona os antigos (como no meu caso).

Review (de 1 a 5*****) - média dos dois almoços: 
Menu: 2,5
Quantidade: 3
Qualidade: 3
Atendimento: 2 

RW2014.2: Hotel Villa Bahia (jantar)

Comecei a série de degustações da 2ª Edição do Restaurant Week de 2014 pelo menu do Villa Bahia. O restaurante está entre os meus preferidos. A qualidade é sempre mantida e a execução dos pratos é feita com o maior cuidado pelo chef Guto Lago. Para o jantar, o chef preparou as seguintes entradas: Verrine de Abacate com Mousse de Haddock (o peixe defumado combinou muito bem o "guacamole") ou Pera Cozida em Vinho Branco com Pato Desfiado, Mole Poblano e Crocante de Castanhas (outra opção segura que combina elementos excelentes).
Para prato principal, a casa conta com uma opção de carne e uma de camarão. O Filé Mignon Grelhado, Molho de Vinho com Massa Fregola Sarda, Cogumelos Frescos e Aspargos Salteados é bem apresentado e delicioso. Os Camarões VG Grelhados, Palmito Pupunha Fresco, Arroz Negro em base de Frutos do Mar e Emulsão de Limão Siciliano também agracia os olhos e o paladar. Sinceramente, não sei dizer qual dos dois é o melhor. Na dúvida, vá mais de uma vez!
As sobremesas também estão caprichadas e fogem daquelas tradicionais encontradas nos restaurantes em Salvador. Primeiro provei o Bolo Cremoso de Carimã com Geleia de Goiaba, Beiju com Queijo de Cabra e Pralinê de Castanhas Brasileiras (boa parte de ingredientes regionais e interessantes). A outra opção é o Fudge de Tâmaras e Nozes com Calda Licorosa de Chocolate e Sorvete de Especiarias, muito saboroso.
Para beber, a casa conta com boas opções e, inclusive, está com uma carta de vinhos com preços especiais para o evento Restaurant Week. Conclusão: mais uma vez, nota 10. A experiência foi ótima. O cuidado com a apresentação, sabor e atendimento foram integralmente mantidos. Se você aprecia uma boa culinária, merece ir no menu do jantar! Voltarei em breve para experimentar o do almoço, mas isso é assunto para outro post. 

Review (de 1 a 5*****): 
Menu: 5
Quantidade: 5
Qualidade: 5
Atendimento: 5

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Santo Pesce: novo cardápio

O restaurante Santo Pesce, localizado na área gourmet do Shoppin Barra, lançou no início do mês seu novo cardápio de pratos principais e menu de petiscos. Com foco na gastronomia contemporânea brasileira e internacional, as criações foram feitas pelo chef Jadson Nunes (do 33 Restaurante) e estão sendo executadas pelo chef Eduardo Bonfim, titular da casa. O jantar para convidados foi organizado pela Como Comunicação, assessoria do grupo, reunindo mídia especializada em gastronomia. O menu degustação começou com um bem apresentado e saboroso Ceviche Santo Pesce (tilápia e salmão marinados em limão, cebola roxa e coentro) e um delicioso Carpaccio de Polvo (servido com polvo refogado e temperado com citronete, azeitonas e salsa).
A inspiração no fundo do mar não ficou restrita às entradas. Para pratos principais, o chef preparou três opções: Fettuccine com Frutos do Mar, Ravioli de Camarão e Lagosta Gratinada. A massa fresca do fettuccine veio acompanhada de lula, mexilhão, camarão e polvo ao molho bisque. Os ingredientes estavam frescos e o molho gostoso. Já o ravioli (recheado com camarão) foi servido com molho pomodoro e perfume de trufas, que confere mais refinamento ao prato. Por fim, foi a lagosta foi acompanhada por risoto de limão siciliano. A lagosta estava bem saborosa, porém o risoto estava ressacado e sem sabor. Foi a única falha do menu degustado. Creio que foi um erro de execução isolado.
OBS: o cardápio de petisco do Santo Pesce é muito parecido com o do 33 Restaurante, que você pode conferir o post recente aqui. Tem ótimas sugestões, como o Camarão 33 (camarões empanados em farinha especial de coco com tapioca e molho de pimenta doce), Camarão à Davy Jones (camarões ao alho com brandada de bacalhau) e os Frutos do Mar à Jack Sparrow (camarões, lula e polvo grelhados salteados com limão siciliano, azeitonas e azeite trufado). Além disso, a casa conta com chopp bem gelado! Bem propícia para um happy hour!

domingo, 12 de outubro de 2014

Spicy Baked Corn on the Cob

O Spicy Baked Corn on the Cob nada mais é do que uma espiga de milho temperada e levada ao forno para "gratinar". Vejo várias receitas na internet mandando assar o milho no forno, mas pensando pelo lado mais prático e de acordo com a rotina daqui de casa (vira e mexe tem milho cozido), pego a espiga já cozida (desconsiderem a parte queimada da foto abaixo - esqueci o fogão ligado... rs) e só tempero. A "crosta" é feita com uma mistura de creme de ricota light, queijo parmesão, temperos da Louisiana (bem picante - lá esse acompanhamento é bem típico) e alho em pó. Depois de misturado os ingredientes, basta passar com um pincel na espiga do milho e salpicar um pouco de páprica, orégano e/ou pimenta do reino, enrolar em papel alumínio e levar ao forno por uns 15 minutos. Se quiser, abra o papel nos minutos finais para dar uma gratinada mais eficiente, ou então passe o maçarico na hora de servir. Fácil, prático, bem apresentado e muito saboroso. Tem dias que janto só isso.     

sábado, 11 de outubro de 2014

La Taperia, de casa nova.

O que era bom, ficou ainda melhor. O sucesso alcançado pelo La Taperia em tão pouco tempo (ainda mais para os parâmetros comerciais de Salvador) resultou numa mudança de endereço. Calma! O bairro continua o mesmo, eles apenas "pularam" algumas casas para um espaço maior, que acomoda melhor os clientes e permite um serviço mais eficiente. A casa está 10, com decoração interessante e itens rústicos para serem apreciados. A festa de lançamento, organizada pelos donos Juli Holler e o chef José Morchon, durou até o amanhecer do dia! O cardápio não foi alterado, mas as opções de itens "do dia" aumentaram.
Sou suspeito para falar sobre o sabor da comida de lá, já que acho um dos melhores lugares de Salvador (post anterior aqui). Então, vou deixar de enrolação e partir pro que realmente interessa. Sempre começo minhas visitas com Piruletas de Camarão com Bifum, pois além de saboroso, tem uma apresentação interessante e não enche muito. Nas últimas visitas, também venho pedindo um Camembert com Calda de Morango e Jamelão. Que calda, viu?!?! Se der sorte, ainda encontro um Tartar de Atún con Aguacate. Entrada simples, mas deliciosa! Muito bom encontrar uma combinação de ingredientes assim em Salvador. A porção de Mejillones a la Provenzal também é uma boa pedida. Pode ser acompanhado de Papas Bravas. E para beber? Sangria de Cava, sempre! 
Como é uma casa especializada em tapas, as opções de pratos principais são reduzidas. O Arroz Caldoso de Polvo e o Arroz Caldoso de Lagosta podem ser indicados para os apreciadores de frutos do mar. O Arroz com Tinta de Sépia e Lulas também é fantástico. A Paella eu nem preciso falar muito. Farta e servida com um molho alioli especial. Top! Já pedi também um Mix de Frutos do Mar a la Plancha, acompanhado de Purê de Batata Doce. Combinação exótica que surpreendeu. Para os carnívoros, a casa disponibiliza uma opção de Filé Grelhado com Cebola Agridoce e Batata Frita. O filé é ótimo, mas os acompanhamentos são as estrelas do prato.  
Cansou de salgado e quer logo pedir a sobremesa? Se ainda não tiver a sua preferência da casa (a minha, por exemplo, é a mousse de queijo), vá de Tabla de Degustación, um mix contendo a tal Mousse de Queijo com Compota de Frutas Vermelhas, uma outra Mousse de Chocolate Amargo com Café e um Arroz Doce com Leite (esse eu não gosto muito!). Depois, é só pedir a conta e ir embora satisfeito. Pelo menos, é o que sempre acontece comigo. Esse novo endereço vai ainda melhorar o status do La Taperia e consolidar o lugar como uma das melhores opções gastronômicas de Salvador. Atendimento diferenciado, preço justo, qualidade e sabor.