quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Domino´s Pizza

A Domino´s Pizza é a maior rede de entrega de pizzas no mundo, com mais de 9.800 lojas espalhadas por 70 países, com o feito de delivery de mais de 400 milhões de pizzas por ano. Pire aí. Com a proposta de entregar uma pizza em casa bem quentinha (graças ao sistema de sacola HeatWave), a casa ainda se gaba pelo recorde de fazer três pizzas grandes em 39 segundos, feito alcançado pelo pizzaiolo Pali Grewal. A Domino´s diz ter a melhor pizza no segmento de fast-food do mercado e foi com base nessa propaganda (e num convite da Assessoria - Fernanda Matos) que fui conhecer a filial do Itaigara daqui de Salvador. Curti o espaço logo de cara, pelo simples fato de ser amplo e não ter as mesas grudadas umas às outras.
Comecei pelo Cheese Bread Margherita (massa de pizza com muçarela, tomate fresco, requeijão, parmesão ralado, manjericão e azeite), que é uma entrada bem saborosa e serve para ser compartilhada. Provei vários sabores de pizza, como a Carne Seca com Cream Cheese, a La Bianca (com muçarela de búfala), a Veggie (vegetariana) e a Extravaganzza (estilo a "Super Supreme" da Pizza Hut), mas o sabor que eu mais curti foi a Toscana, item do cardápio Premium da Domino´s. E como é a tal pizza? Linguiça pernil Toscana, "mussarela", requeijão, azeitona preta, cebola, tomate fresco, manjericão e orégano. Precisa mais de quê? Só de um bom azeite para acompanhar...  
A sobremesa foi um Dipp´s de Canela com Doce de Leite. uma espécie de rabanada com bastante açúcar e canela. Hummm! Resumindo, gostei de tudo que experimentei, tanto que já voltei duas vezes na casa após a visita relatada no post. Preciso ressaltar que dia de terça ainda tem promoção de pizza dobrada. E se você é um daqueles que não gosta de massa grossa, a casa tem massa média (ver duas últimas fotos) para agradar! Não é uma pizza gourmet, mas com um sabor honesto e um preço convidativo, a visita tem bom custo-benefício.   

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Queijo de cabra: Pirâmide do Bosque

Se você gosta de queijo de cabra, anote esse nome: Pirâmide Cendré. Produzido exclusivamente pelo Capril do Bosque, utiliza carvão vegetal no processo de fabricação artesanal e mofos brancos aveludados para criar o suave e picante sabor. A inspiração vem do Valençay francês (muito bom também!), que tem origem controlada. O aroma é forte (mas agradável) e o recheio é cremoso. Nem comento o sabor! É um dos queijos que mais agradou meu paladar. Já comi puro, com crackers gourmet (de alecrim) e com creme de abóbora. A dona do Capril do Bosque (Joanópolis - 112 km de São Paulo), Heloísa Collins, começou a atividade como hobby e hoje já produz sete tipos de queijo. Em São Paulo, você encontra na mercearia do Mestre Queijeiro. Recomendo demais! 

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

La Cucina Restaurante

Depois de ler vários comentários positivos sobre o La Cucina no Instagram de Tereza Carvalho (@proveieaprovei - um dos perfis que mais confio), aproveitei o último sábado para fazer a minha 1ª visita. Normalmente não comento sobre os preços dos pratos que experimento, mas um dos diferenciais do restaurante é o preço acessível. Só para vocês terem noção, o prato mais caro custa R$19,00 (isso mesmo!). Marcelo Gomes, o chef, já trabalhou em grandes restaurantes, com o Veleiro (do Yatch Clube da Bahia), o extinto Trapiche Adelaide, Soho, Porto Gourmet (atual 496 Grill e Bar) e Bistrô du Vin. A experiência adquirida ao longo dos anos ajudou na montagem do cardápio, que reserva opções de culinária italiana, francesa e baiana. Para começar, escolhi uma Bruschetta de Tomate, Manjericão e Queijo
Como a propaganda da Codorna recheada com Farofa de Passas e Cebola foi grande, nem hesitei na primeira escolha. E que escolha! Apresentação, preço e sabor num mesmo prato. Carne macia e suculenta. Com certeza, foi a melhor codorna que comi aqui em Salvador. Para completar, a ave é arrumada numa cama de acelga (muito saborosa). A vontade de repetir foi grande, mas preferi nessa visita experimentar outros pratos para ter um pouco mais de noção da proposta do restaurante. 
Assim, continuei a degustação com uma Moqueca de Banana da Terra com Carne Seca e Camarão. Não gosto muito de carne seca, mas confesso que o prato foi uma ótima escolha. Ainda provei um Risotto de Camarão e Tomate Seco (muito bem preparado), um Filé Mignon com Molho Dijon e Batata Ana (ótima execução e com molho suave) e um Gnocchi de Batata com Molho de Carne e Calabresa (foi o prato que menos gostei).
O ambiente simples e de poucas mesas não tira a grandiosidade do sabor da comida. Muito pelo contrário. Fiquei surpreso pelo cuidado com a apresentação dos pratos e pelo sabor. A conta total de tudo que você viu nesse post, incluindo bebidas (cerveja, água e refrigerante) não alcançou R$100,00 (cem reais). E como o atendimento é feito pelos proprietários da casa (por sinal, bem simpáticos), não existe a cobrança de 10%. Recomendação alta para esse restaurante pequeno, mas de uma culinária notável e com um ótimo custo-benefício. É para conhecer e voltar várias vezes... 

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Feijão Verde Crocante

Essa "receita" de Feijão Verde Crocante é mais uma invenção minha na cozinha. Quando abri a geladeira no final de semana, vi que já tinha um pote de feijão verde já pronto para ser consumido. Como eu gosto muito desse ingrediente, fiquei pensando no que fazer. Peguei umas fatias de bacon e fritei na panela wok com um pouco de PAM (não adicionei manteiga ou azeite). Aproveitei a gordura da panela para fritar a cebola (acrescentei uma colher de sopa de alho em pó) e o peito de frango. Feito isso, coloquei os ingredientes para "secar" no papel toalha. 
Aproveitando a panela quente, adicionei os feijões verdes (com tempero verde - salsa e coentro), o franco com a cebola e o bacon crocante. Se a pessoa quiser, já pode servir dessa forma que o sabor já é mais que delicioso. Mas se quiser incrementar ainda mais, sugiro adicionar umas duas ou três colheres de sopa de creme de ricota light, para dar aquele tchan. A finalização do prato ficou por conta de cebolinha cortada. A combinação entre os ingredientes ficou muito boa. Já comi umas três vezes, inclusive foi meu almoço de hoje aqui no escritório. 

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Oui Restaurante - Barra

Com investimento de mais de R$1 milhão de reais, o Oui Restaurant mudou de endereço e agora está com residência fixa na Barra. O casarão, recentemente reformado, decorado e com projeto paisagístico interessante, recebeu investimento de mais de R$1 milhão de reais. Eu que sempre indiquei o restaurante como um dos melhores da cidade, já achava que uma reforma era mais que necessária na antiga sede, mas, com essa mudança, o resultado melhor do que o esperado. TOP demais. Os proprietários Maria Carmem Barros e Fred Barreto de Araújo apresentaram o novo espaço, dividido em térreo e mezanino (excelente para pequenos eventos), num jantar que aconteceu na última terça, dia 26.    
O lugar impressionou bastante, pois além de bonito é bastante confortável. Antes de começar o jantar, pedi para olhar o cardápio convencional, achando que encontraria várias novidades. Para minha surpresa, os pratos que eu já gostava, como a Lagosta do Chef, o Polvo Grelhado com Risoto de Limão Siciliano e os famosos Soufflés, foram mantidos (ainda bem!) pelo chef Severino Silva, que comanda a casa há algum tempinho. Para o evento, a casa trabalhou com menu pré-determinado. A entrada ficou por conta de um Ragout D´Agneau (Ragú de Cordeiro com Mini Polenta). O molho estava bem saboroso, mas eu não sou muito fã da consistência de polenta. O pessoal que estava comigo adorou. As escolhas de prato principal foram: Caille aux Épices (Codorna Recheada com Farofa de Ervas e Passas acompanhada de Mousseline de Mandioquinha) e Steak Bordelaise (Filé Mignon ao Molho de Vinho Tinto e Cebola Roxa Acompanhado de Batata Recheada com Queijo Brie e Parma).
A carne, selada no ponto certo e muito bem temperada, estava muito boa, mas a codorna, que é nova no cardápio, foi incrivelmente superior. Suculenta e bem recheada, foi o prato preferido da noite. Os pratos foram harmonizados prosecco e vinhos. A sobremesa ficou por conta de uma Tarte aux Pomes (Torta de Maçã acompanhada de Sorvete de Baunilha).
Saí com vontade de voltar logo e com a certeza de que a nova casa (mas com a "velha" e conceituada gastronomia francesa desde 2005) vai ser responsável por dar um boost no processo de revitalização da Barra. E depois de conferir o novo endereço, o antigo nem mais faz falta! O acesso ao novo endereço é feito pela Rua Marquês de Leão, no sentido Farol e a casa já conta com serviço de manobrista.

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Degustações por Fabrício Lemos

Quem aprecia (de verdade) gastronomia sabe: menu degustação é um caminho sem volta. A experiência faz você sempre querer repetir a dose, ainda mais quando a preparação dos pratos é feita por alguém que busca inovar e melhorar as técnicas com o passar do tempo. Já perdi a noção de quantas vezes provei (e aprovei) as degustações exclusivas criadas pelo Chef Fabrício Lemos e o post de hoje é para mostrar um pouco mais da competência do mesmo.
Ceviche, que é uma das minhas entradas preferidas, já foi apresentado em diversas versões, sempre tendo algum item surpresa (ameixa, carambola, caju, beterraba ou manga). A essência é a mesma, mas a adição de algo inusitado pode mudar substancialmente o paladar. Qual o melhor? Sinceramente não posso responder. O último, por exemplo, foi de Robalo com Ostras Cruas, Leche de Tigre e Frutas (foto abaixo).
Para desenvolver um "menu degustação" que agrade 100% o cliente, o chef busca saber um pouco do perfil  do mesmo (gostos, preferências e até alergias). Além disso, costuma usar insumos com características "umami" (um dos cinco gostos básicos, popularmente conhecido como "gosto saboroso"), como o azeite trufado ou um queijo envelhecido. Quando vai fazer um prato mais artístico, Fabrício procura mexer sempre com as cores, para atrair o máximo de atenção visual.  De acordo com ele, o grande segredo é ter criatividade, conhecimento e acertar na "mistura entre ingredientes harmônicos, saborosos e bem apresentados".
A criatividade do chef é tanta que numa certa vez pediu para que cada pessoa da minha mesa escolhesse um item para compor o prato do almoço. As escolhas foram: robalo, polvo, camarão, lagosta, molho nage de manjericão e mandioquinha. Isso resultou no prato abaixo, altamente personalizado (algo que não é facilmente encontrado aqui em Salvador). 
Como aprecio bastante os frutos do mar, eles sempre são encontrados nas criações preparadas para mim. No histórico de degustações, por exemplo, já estão inclusos o Polvo Crocante (com Tinta de Lula, Redução de Syrah e Batata com Páprica), os Chips de Lagostim (com Purê de Mandioquinha e Mexilhões Confitados), o Duo de Ravioli de Camarão (em duas texturas, com Molho Nage de Uva), a Salada de King Crab e o Risotto de Lagosta. Se a foto já é atrativa, imagina o sabor!
A qualidade do trabalho é percebida do início ao fim da refeição. Já experimentei sobremesas incríveis, como a Sweet Julia (dose tripla de chocolate em diferentes texturas com farofa crocante e nuts) e o Duo de Chocolate (gatêau e ganache flexível, com espuma de maracujá, coulis de manga e sorvete de amendoim). Esse último, por exemplo, teve acréscimo de um pouco de chocolate Amma Cupuaçu, que foi levado por uma amiga minha para o almoço. Não posso deixar de falar também da Torta morna de Tapioca com Dulcey, Doce de Leite e Sorvete de Coco.
Tem muita gente que critica esse tipo de serviço gastronômico, por achar que é sinônimo de rasgar dinheiro, mas não há nada de ostentação em provar menus degustação. Muitas vezes o preço pode ser considerado alto, mas quando a sequência é excelente e de qualidade, o prazer e a satisfação são impagáveis. Pelo menos para mim. E confesso que depois de ter experimentado um prato como o Bouillabaisse de Poissons et Fruits de Mer (guisado tipicamente francês à base de peixes e mariscos) ou um Risotto de Crustáceos (meu risoto preferido do Al Mare), fica muito mais difícil voltar para os frutos do mar e peixes comuns. 
Sobre o Chef - Com mais de uma década de experiência comandando restaurante no Brasil e nos Estados Unidos e um diploma da renomada escola de gastronomia francesa Le Cordon Bleu, o trabalho de Fabrício Lemos é marcado por muito trabalho, dedicação, ousadia e concepção de pratos exclusivos. Recentemente premiado pela Revista Veja Salvador "Comer e Beber" com o título de "Chef do Ano", prêmio este reflexo da sua proposta de uma culinária contemporânea de primeira.